sábado, maio 31


Menino Guerreiro
Os Meus Sentimentos

Memória do Crónicas (31/05/05)

O PAI DO MONSTRO
Miguel Cadilhe, o ministro das Finanças de Cavaco Silva, acusa o ex-primeiro-ministro de ser o principal responsável pelo Novo Sistema Retributivo da Função Pública, que conduziu ao enorme aumento da massa salarial dos funcionários no início dos anos 90 e que representa hoje 15% do PIB, sendo a terceira administração pública mais cara da União Europeia.
Diz Cadilhe: «Os trabalhos preparatórios do novo sistema retributivo da função pública (...) correram sob a responsabilidade directa de Cavaco Silva, como ele próprio afirma na sua ‘Autobiografia Política’», e recorda que, no Conselho de Ministros de 1989 em que foi aprovado o novo sistema, apresentou as suas preocupações e procurou sujeitar a sua aplicação à redução de outras despesas e à melhoria da produtividade. Contudo, o Governo não deu a devida continuidade a estas restrições e isso «teve efeitos avassaladores» sobre as despesas correntes do Estado.
Sublinha que tentou contrabalançar o novo sistema nomeadamente com a introdução de auditorias externas aos serviços, mas Cavaco desistiria delas, confessa Cadilhe, «nem sei bem porquê».
O ex-ministro conclui: «Admito que a resistência dos burocratas se tenha aliado às conveniências eleitorais e anti-reformistas dos políticos».

Na hora de votar, é preciso estar informado…

Comentário
Cavaco Silva é o principal responsável político pela tragédia que foi a má utilização dos dinheiros da C. E. E. e pelo rumo descontrolado que imprimiu ao País, que o levou ao estado miserável em que actualmente se encontra. Já foi uma vez politicamente julgado por tudo isto. Agora quererá um segundo julgamento?!
Como intriguista político, só seria relevante caso tivéssemos continuado a ser governados pela coligação da «Tanga» (e pelo Governo que ia nu).
Como governante, talvez ainda fosse utilizável numa Secretaria de Estado de carácter técnico. Como político é uma memória a esvaír-se de um passado triste, que só nos envergonha. Mas como estadista, então, é uma absoluta nulidade!
Ao que chegámos, para ainda haver quem queira ressuscitá-lo como presidenciável...
Posted by A. Castanho to Crónica do Planalto at 6/2/2005 07:44:49 PM

Portugal no "nosso" melhor


sexta-feira, maio 30

Uma História Antiga

Era um dia quente de final de Maio de 1974, e sei que era sexta-feira. Naquela manhã, à chegada ao Externato Diogo Mendes de Vasconcelos, Alter do Chão, fomos todos convocados pelos mais velhos para a “Sala da Mocidade”, (nome pomposo para um rectângulo com armários nas paredes e uma desconjuntada mesa de ping-pong).
Não queriam ter aulas ao sábado, anunciá-lo ao director e se a reivindicação não fosse aceite, partir para a greve. Já estava tudo decidido. A nós, os mais novos, só nos restava segui-los, sob pena de levar uns “carolos” recusando-nos.
E lá fomos todos em bando para o gabinete do director, o senhor Padre Zé Maria (uma excelente pessoa). Lá chegados, alguém expôs a nossa (deles) reivindicação, sem esquecer de aludir à ainda terrível ameaça para aqueles tempos, a greve…
Recordo o ar divertido do director. Era para ele uma novidade, e inconcebível que um bando de fedelhos ousasse interpelar um respeitadíssimo representante de deus na terra. Naqueles tempos não era hábito misturar as águas. Um padre cumprimentava-se de cabeça baixa e chapéu na mão. E se alguém ousasse desrespeitar o costume, lá estava a GNR para o castigar. Muita coisa se resolvia com uma boa sova no Posto.
Então eu ouvi o Padre Zé Maria dizer-nos com um ar paternalista:
- Mas o que é isto? Guerra entre patrões e criados? Quem é aqui quem?
Fez-se um silêncio infindável. Naquela altura, os responsáveis pela baderna, já tinham recuado e deixado a frente da luta aos miúdos. Eu estava no meio da sala e ouvi-me dizer:
- Senhor director, não é uma questão de patrões e criados. Mas a haver patrões, somos nós. Nós é que pagamos.
O homem fez-se de todas as cores ante a afronta. Apontou-nos a porta da rua, e para as aulas já!
Depressa aconteceu a total desmobilização. Aliás os instigadores foram os mais lestos a obedecer. Ficámos 4 ou 5 em greve. Suficientemente poucos para ser possível chamar os pais. O meu pai chegou de motorizada por volta das 2 horas e disse o óbvio:
- Eu pago para estudares, não p’ra fazer greves. Já p’ra aula.
Não havia volta a dar. Subi a escadaria, bati à porta da sala grande, aula de história da Dona Mabília e pedi licença para entrar. Olhei para os meus colegas, e com uma terrível vontade de chorar, disse:
- Estou aqui porque fui obrigado.

E assim terminou, sem honra nem glória, o meu primeiro acto político.

quinta-feira, maio 29

É Urgente o Amor - Eugénio de Andrade

video

Vai-se a Juba…

Eu não gosto nada do Sporting. Confesso que ficava muito feliz, se um dia visse o clube a disputar os campeonatos distritais.
Mas, até porque tenho amigos que são “lagartos” ferrenhos, não desejo o fim da colectividade.
Agora não tenho dúvidas, que as coisas vão no mau caminho.
Quer me parecer que seguem na mesma rota do Boavista.
O pai, ou um investidor, alguém a manobrar no escuro, coloca na cadeira da presidência um idiota, uma marioneta.
Depois, mexe os cordelinhos até conseguir apoderar-se de todo o património.
Os terrenos de Alvalade já foram, agora vai a Academia, depois vai o Estadio.

Memória do Crónicas (29/05/05)

SABER EDUCAR

Numa escola pública estava ocorrendo uma situação inusitada:

Uma turma de meninas de 12 anos que usavam batom todos os dias, removiam o excesso beijando o espelho do banheiro.

O director andava bastante aborrecido, porque o servente tinha um trabalho enorme para

limpar o espelho no final do dia. Mas, como sempre, na tarde seguinte, lá estavam as mesmas marcas de batom...

Um dia, o director juntou o bando de meninas e o zelador no banheiro. Explicou pacientemente que era muito complicado limpar o espelho com todas aquelas marcas que elas faziam.

Depois de uma hora falando, pediu ao servente para demonstrar a dificuldade do trabalho.

O servente imediatamente pegou num pano, molhou no sanita e passou no espelho.

Nunca mais apareceram marcas no espelho!Há professores e há educadores...

quarta-feira, maio 28

O Pricepezinho ( Saint-Exupery)

Certa vez, quando tinha seis anos, vi num livro sobre a Floresta Virgem, "Histórias Vividas", uma imponente gravura. Representava ela uma jibóia que engolia uma fera. Eis a cópia do desenho.

Dizia o livro: "As jibóias engolem, sem mastigar, a presa inteira. Em seguida, não podem mover-se e dormem os seis meses da digestão."
Reflecti muito então sobre as aventuras da selva, e fiz, com lápis de cor, o meu primeiro desenho. Meu desenho número 1 era assim:

Mostrei minha obra-prima às pessoas grandes e perguntei se o meu desenho lhes fazia medo.
Respondera-me: "Por que é que um chapéu faria medo?"
Meu desenho não representava um chapéu. Representava uma jibóia digerindo um elefante.

(continua…)

Campo Grande Lisboa / 1955 -


terça-feira, maio 27

Lei Eleitoral II

Não sou partidário de um único círculo nacional, tornaria o sistema excessivamente proporcional e ingovernável, além de facilitar a eleição de deputados de Lisboa. Embora seja favorável à combinação de círculos territoriais (com base nas NUTS III ou agregações das mesmas, abandonando os distritos) com um círculo nacional sobreposto.

Vital Moreira

Lisboa, 25 Abril 2008





Fotos de Lumife

segunda-feira, maio 26

video

Memória do Crónicas (26/05/05)

OS TRÊS DA VIDA AIRADA
Segundo o Expresso, o despacho que viabilizou o corte dos sobreiros para se poder dar início à construção do empreendimento turístico da Herdade da Vargem Fresca (Benavente), da Portucale (Grupo Espírito Santo), foi assinado já depois das eleições de 20 de Fevereiro e não antes, como consta da data oficial (16 de Fevereiro).
De acordo com documentação a que o jornal teve acesso, o ministro Luís Nobre Guedes terá sido o primeiro a assinar o despacho, mas só na semana a seguir às legislativas, é que o titular da pasta do Ambiente pediu aos seus companheiros de governo Costa Neves (Agricultura) e Telmo Correia (Turismo) para assinarem com urgência o documento.

Mas eu estou plenamente convencido que nenhum dos três é o verdadeiro responsável…

Cocó Guedes, (força Paulo, estou contigo), não passa de um “capacho”. Como provam as trapalhadas da ultima campanha é demasiado imbecil para orquestrar a trama.

Ranheta Correia, (aqui está o novo líder que sou eu), é um número dois típico, podia ser induzido, mas não pelo Guedes, que ele não reconhecia como “a voz do dono”.

Facada Neves, (cujo primeiro acto como ministro, foi dar uma entrevista á Quinta das Celebridades), é o típico provinciano deslumbrado. Foi enrolado.

A Justiça, o que tem a fazer, é deixar os moços em paz. E se querem fazer obra asseada…Prendam o chefe!!

Segundas Poéticas

MANIAS!

O mundo é velha cena ensanguentada,
Coberta de remendos, picaresca;
A vida é chula farsa assobiada,
Ou selvagem tragédia romanesca.

Eu sei um bom rapaz, -- hoje uma ossada, --
Que amava certa dama pedantesca,
Perversíssima, esquálida e chagada,
Mas cheia de jactância quixotesca.

Aos domingos a deia já rugosa,
Concedia-lhe o braço, com preguiça,
E o dengue, em atitude receosa,

Na sujeição canina mais submissa,
Levava na tremente mão nervosa,
O livro com que a amante ia ouvir missa!

(Cesário Verde)

domingo, maio 25

Insólitos

Um burro foi detido em Tuxtla Gutiérrez, no México, após ter mordido em dois homens, anunciaram as autoridades locais, informa o portal Terra.

De acordo com o polícia Sinar Gómez, o animal vai continuar atrás das grades até que o seu proprietário pague as despesas médicas das duas vítimas do burro.

«Aqui, se alguém comete um delito vai preso, não importa quem seja», explicou Gómez.

O proprietário do animal, Mauro Gutiérrez, revelou que vai pagar todas as despesas avaliadas em 266 euros.

Esta não é a primeira vez que um animal é preso num estabelecimento para reclusos humanos. Um touro esteve detido no passado mês de Abril, após ter estragado uma plantação de milho e só foi solto depois da «fiança» ter sido paga.

Estaline Cowboy

Na quinta-feira passada o estado da Califórnia debateu uma proposta no sentido de revogar a lei em que um trabalhador pode ser despedido por ser comunista.
O promotor dessa iniciativa, Alan Lowenthal (PD) argumentou que o Partido Comunista já não advoga o derrube do Estado e do governo estadual e deixou claro que se essa organização ainda tivesse o objectivo de tomar o poder então tudo deveria ficar como está.
Jeff Denham (PR) que assumiu o combate a tão infame retrocesso deixou claro que o PC lá do sítio não é uma organização morta pelo que a entidade patronal deve ter o direito de dispensar a quem adira a tais ideias. Denham defendeu ainda que a obrigatoriedade de assinar um documento repudiando tal ideal deve continuar a ser obrigatório.
Helder Castilho

Minha Língua Amordaçada…

Tenho uma língua na boca

e outra nos ouvidos
No meio fica a confusão
o engano
a raiva
o medo
a impotência
a submissão
a incerteza a saudade
a caneta amortecedora
o ódio
a faca
o desassossego
a luta
o render-se
o nunca se render
a morte
o inimigo
a entranha estéril
a perda dos herdeiros
No meio... ai, no meio !
por vezes o desespero
a procura
a frustração a embriaguez
a auto-anestesia a auto-mutilação
a dúvida
a certeza da dúvida
sim, da dúvida semeada em terra própria
por mão alheia
no meio os funerais
nos que se enterram palavras vivas
estando ainda quente nosso alento
palavras que gritam
que pedem ajuda
a esta minha torpe mão de guerreiro inútil
Sim, tenho uma língua na boca
e outra nos ouvidos
uma me liberta a outra me invade
uma para cantar a dor de tanta morte
a outra a assassina.

Concha Rousia -Galiza 19/05/2008

sábado, maio 24

Ah Ganda Lopes!

"Este socialista ´de meia-tigela’, tirou as reformas, tirou o emprego, castigou os mais fracos e anda todo contente e ainda se ri quando eu lhe digo que há pessoas com fome no País, como aconteceu esta semana na Assembleia da República”

«Santana Lopes»

Santana, Santana, Santana

Voos, Mentiras & Mimetismo

video

“O governo não tem nada a esconder ou temer sobre a questão dos voos da CIA para Guantânamo e sempre prestou todas as informações solicitadas sobre o assunto”

«Pedro Silva Pereira»

Nota: Este governo não precisa de esconder que vive de cócoras, nós já sabemos da queda que têm para o servilismo que nos envergonha. E não teme que se saiba, afinal é uma marca comum a quase todos os governos europeus.
Sobre o “prestar informações”, é mentira. Têm é tentado esconder a todo o custo. Que o diga Ana Gomes.
O Ministro da Presidência, está cada vez mais parecido com Sócrates, até nas pausas e inflecções de voz. Estou convencido que Silva Pereira, quando for grande, vai querer ser igual ao chefe
.

Lei Eleitoral I

Pessoalmente não vejo qualquer necessidade de os Deputados à Assembleia da República terem "rótulo" (seja "do Norte", "de Lisboa", "de Beja", seja "dos católicos", "das mulheres", ou "dos jovens", enfim, se nos vamos pôr a falar em critérios de estratificação eleitoral possíveis, ficamos para aqui "até vir a mulher da fava-rica"...).
Um Deputado à A. R. é sempre nacional, representa o Povo, onde quer que ele viva. Serve para trabalhar e decidir em função dos interesses do PAÍS, e não do "queijo" lá da sua terrinha.
Para cuidar dos interesses da sua terrinha estão lá os seus AUTARCAS, assim como para cuidar dos interesses da sua REGIÃO deverão lá estar os seus eleitos próprios.
Por isso defendo como solução ideal o círculo único nacional, por uma questão de transparência e de rigor (quem vota num Partido não deve ser descriminado pelo simples facto de morar onde mora (para quem não saiba, há centenas de milhares de votos que se perdem nos pequenos Distritos, que só podem eleger Deputados de dois, ou mesmo três Partidos) e como MELHOR SOLUÇÃO para assegurar o respeito pelo princípio da PROPORCIONALIDADE, isto é, a percentagem de mandatos corresponder muito aproximadamente à dos VOTOS realmente obtidos (o que actualmente está longe, muito longe, de se verificar).
No entanto, sendo esta uma solução radicalmente diferente daquela que tem vigorado entre nós desde a instauração da Democracia, em 1974, penso ser razoável, como passo intermédio (e porque todas as mudanças ganham em fazer-se gradualmente), uma solução de círculos REGIONAIS, em que a proporcionalidade, apesar de tudo, ficará já muito mais defendida do que actualmente.
Esta solução, que poderá evitar a aberração democrática (pelo menos num País ainda sem tradições enraizadas de vida e de mentalidade democrática, como é o nosso) dos círculos uni-nominais de candidatura (os tais das listas "uni-pessoais"), tem ainda uma outra VANTAGEM DE OPORTUNIDADE no momento actual, pelo menos para quem defenda a Regionalização, que é a de permitir transferir dos Distritos para as futuras Regiões a organização interna dos Partidos e o debate político, contribuindo assim objectiva e decisivamente para a formação de uma verdadeira OPINIÃO PÚBLICA e de uma CLASSE POLÍTICA regionais, que são "activos" de valor inestimável para quando se implementarem verdadeiros órgãos regionais de poder político democrático!
Representam, por assim dizer, e no plano social, "economias de escala" que um qualquer gestor ou economista bem compreende, pelas vantagens indirectas e a prazo que induzem no "processo político", e cujo valor pedagógico supera, em muito, o de qualquer campanha ou outro tipo de medidas avulsas que se possam vir a tomar com esse mesmo objectivo.
Penso, aliás, que a Regionalização deverá efectivamente ser uma reforma GLOBAL do nosso sistema político e administrativo, não apenas sectorial, ou desgarrada, mas antes com reflexos e incidência directos e coerentes em múltiplos domínios da vida nacional.
Até, como se vê, na Lei Eleitoral para a Assembleia da República...


Marçal Alves

sexta-feira, maio 23

Maria Bethânia

video

Memória do Crónicas (23/05/05)

APERTAR O CINTO
Três anos de sacrifícios, não valeram de nada. O país está muito pior, e os gurus da economia, que nunca sentem as crises, voltam a receitar a Banha da Cobra que eles tão bem sabem vender. Subir os Impostos. Os de sempre, a Classe Média, que aperte o cinto.
Se querem mesmo resolver a crise, comecem por:

1º - Terminar com esse anacronismo dos Direitos Adquiridos. No mundo de hoje tudo muda a toda hora. O único direito adquirido é a morte.
2º - Decretar imediatamente um “plafom” máximo de reforma a pagar pela Segurança Social e ADSE. (6 a 8 ordenados mínimos). Idade de reforma igual para todos e fim de isenção de impostos.
3º - Terminar com as regalias dos Titulares de Cargos Públicos. (reformas antecipadas e sub. de reinserção) Não esquecer os gestores públicos com vários “tachos”.
4º - Criar um Imposto sobre Grandes Fortunas, bens imóveis e móveis (acções), sem esquecer os proprietários de terras.
5º - Abolir o Sigilo Bancário e legislar sobre Cruzamentos de Dados.
6º - Acabar com o Cartão de Crédito dos Assessores e outros que tais, e proibir o carros do Estado de circular aos fins-de-semana e feriados.
7º - Confiscar e Leiloar os bens de Gestores de Empresas com dívidas ao Fisco e Segurança Social.
8º - Acabar com os benefícios fiscais de que a banca goza e cobrar impostos aos profissionais liberais, médicos, advogados, etc.
9º - Proibir os Partidos Políticos de receber donativos e contrair empréstimos. Financiamento estritamente público.
10º - Limitação de mandatos, e muito cuidado com conflitos de interesses de Câmaras, empresas municipais, bombeiros, etc

Crónica dum país a saque…

Fernando Nogueira: Antes -Ministro da Presidência, Justiça e Defesa. Agora - Presidente do BCP Angola.

José de Oliveira e Costa: Antes -Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais. Agora -Presidente do Banco Português de Negócios (BPN)

Rui Machete: Antes - Ministro dos Assuntos Sociais. Agora - Presidente do Conselho Superior do BPN; Presidente do Conselho Executivo da FLAD

Armando Vara: Antes – Ministro-adjunto do Primeiro-Ministro. Agora - Vice-Presidente do BCP

Paulo Teixeira Pinto: Antes - Secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros. Agora - Presidente do BCP (Ex. - Depois de 3 anos de 'trabalho', Saiu com 10 milhões de indemnização !!! e mais 35.000€ x 15 meses por ano até morrer...), mais uns 'trocos' como consultor e professor.

António Vitorino: Antes -Ministro da Presidência e da Defesa. Agora -Vice-Presidente da PT Internacional; Presidente da Assembleia Geral do Santander Totta - (e ainda umas 'patacas' como comentador RTP).

Celeste Cardona: Antes - Ministra da Justiça. Agora - Vogal do CA da CGD

José Silveira Godinho: Antes - Secretário de Estado das Finanças. Agora - Administrador do BES

João de Deus Pinheiro: Antes - Ministro da Educação e Negócios Estrangeiros. Agora - Vogal do CA do Banco Privado Português.

Elias da Costa: Antes - Secretário de Estado da Construção e Habitação. Agora - Vogal do CA do BES.

Ferreira do Amaral: Antes - Ministro das Obras Públicas (que entregou todas as pontes a jusante de Vila Franca de Xira à Lusoponte). Agora - Presidente da Lusoponte, com quem se tem de renegociar o contrato e não tem responsabilidades directas sobre a manutenção das pontes sob a sua jurisdição.

etc etc etc... a lista é um 'endless roll...'

O que é isto ?
- Não, não é a América Latina, nem Angola. É Portugal no seu esplendor!!! Será, então: - Cunha patriótica? - Gamanço legal? ou, simplesmente são: - SEM VERGONHA???

...e depois este ESTADO até quer que se declarem as prendas de casamento e o seu valor! Não é acintoso? Ultrajante mesmo?
Pois... Ouvi uma vez que 'quem elege, é quem derruba', mas, pelos vistos, a nós, portugueses, faltam-nos as forças. Por isso, só reclamamos e choramos e fazemos apelos como este.
A 'VACA' está quase seca, mas eles insistem no mamanço...

quinta-feira, maio 22

Em França, a vida política começa a estar complicada. Os franceses já vão percebendo que o presidente, Monsieuer Carla Brunni, não passa dum pateta-alegre.

MORA FORTE

Mora actualmente está em luta. A razão é a passagem do concelho para o distrito de Portalegre passando Sousel para Èvora. Qual é o problema perguntamos nós? Nenhum, excepto a vontade popular ser contrária e se fazer tábua ao contexto geográfico, económico e social das regiões em causa. A questão central nesta trapalhada é o ataque do PS á associação de municipios de Évora, organização que não consegue conquistar através das eleições, então coloca o Governo ao serviço das suas necessidades eleitoralistas.

Helder Castilho

Ao abrigo do Direito de Resposta, que me foi negado

Este texto devia ter sido editado no blog Rosamármore, como resposta a três “posts” do sr. José M. Barbosa de que não gostei. Como fui despedido de colaborador e até o meu comentário foi apagado, deixo-o aqui.

De Corda ao Pescoço

Qual Egas Moniz, começo por pedir desculpa por voltar ao tema, mas sobretudo por discordar de tão douta criatura. Os seus postes são acintosos e confusos. Talvez devido ao seu excesso de massa cinzenta. Uma patente crise de abundância. Quisera eu… (retirei o vídeo por respeito. Talvez não fosse adequado. Você também retirou o “Reciprocidades”,lembra-se? Era incoerente)-
As suas confusões resolver-se-iam não escrevendo directamente no blog. Para ter tempo de reler, ponderar. Evitava elogiar, (timidamente acho eu), o meu post “Cartas d’Além Tejo” nos “coments” e depois de ler o “post” “O meu espanto”, vir desancá-lo de alto a baixo. Não já por confusão, (trapalhada), mas por “v(b)endeta. (significa vingança, não é? Um sentimento bem mesquinho).
Se as suas confusões se podem resolver com apenas algum cuidado, já o espírito vingativo e intolerante, é bem mais complicado. Dizem que, com uma boa e prolongada terapia... Mas eu não ponho muita fé nisso; diz o povo; “quem nasce torto, tarde ou nunca se endireita” e eu acredito.
Quero informá-lo, já que não percebeu, que o meu texto “Cartas d’Além Tejo” é uma ficção, uma parábola. Eu nunca tive animais, (minto! Em idade escolar, tive piolhos, por duas vezes). Embora não tenha nada contra quem pensa diferente, não me vejo a ser proprietário, dono, de outro ser vivo. Há quem o justifique com a ausência de alma nos outros animais. Mas eu sou completamente anti-religiões e sei que essas teorias, ainda há bem pouco tempo, justificaram o esclavagismo.
Outras das suas confusões, (trapalhadas), foi trazer a lume o Holocausto Nazi. Vem a despropósito, mas fica bem, dá ares… O Holocausto não teve nada a ver com a nossa discussão. Nem as vítimas; judeus, ciganos, negros, deficientes, homossexuais; pessoas diferentes, eram animais. Nem os autores; nunca um animal agiria assim, tão barbaramente.
Não recorro á minha linhagem para reforçar as minhas palavras, porque não considero necessário. Sou já bem grandinho para precisar de tutores. Nem teria nomes tão sonantes para apresentar. Reconheço. Só pessoas honradas, como os seus, não duvido.
Deve estar lembrado, que a primeira vez que escrevi no Rosamármore, a convite seu, deixei claro; “uma palavra sua e considero-me desconvidado”. Pois assim será.
Não me vou, sem lhe dizer que gostei do seu blog e que continuarei a lê-lo, manterei o link para lá e comentá-lo-ei sempre eu achar oportuno.

Despeço-me, com o mesmo respeito que devo aos outros animais.

quarta-feira, maio 21

Trapassas & Trapasseiros

Indícios de golpes de bastidores nas eleições directas para a liderança do PSD.
Na secção de Benfica, em Lisboa, há 39 inscritos no partido a viver em apenas cinco moradas diferentes, todos vizinhos. Num apartamento T1, estão registados 11 militantes, um dos quais, é contratado pela junta. Na mesma rua, surgem outros dois endereços onde supostamente residem um total de 11 inscritos no partido (seis numa casa, cinco noutra). Numa rua ao lado, há outro apartamento onde vivem mais 11 militantes, e uma cave de outra rua próxima, um T3, dá endereço para mais seis inscritos no partido, um dos quais é igualmente funcionário da junta de freguesia.
Os domínios internet de Ferreira Leite e Passos Coelho, estão com muitos problemas. Foram assaltados por Hakers.O objectivo é impedir que esses registos sejam usados, como acontece com o «ferreiraleite.com». Esta página é a única que está activa... e imparável. Tem anúncios Google para todos os gostos, desde o movimento liberal social a "mulheres sexy no chat". O domínio «pedropassoscoelho.com» foi registado em Gaia, curiosamente pelo mesmo indivíduo que registou o «ferreiraleite.com» e que tem o mesmo nome do presidente da comissão política do PSD de Santa Marinha.
Quem não parece ter tido qualquer problema em registar-se, foi Pedro Santana Lopes.
Coincidências? Eu não acredito em coincidências. Ah ganda Lopes!!!

Memória do Crónicas (21/05/06)

Congresso do PSD
Quando o repórter perguntou a uma congressista como estava a achar o Congresso, ela respondeu:
-Sem vida.
Foi realmente assim a Reunião Magna do PSD. O discurso de Marques Mendes foi igual a ele mesmo, sem chama.
Os notáveis não apareceram desta vez. Os nossos políticos só funcionam pelo “princípio da cenoura”. Se não houver uma cenoura suculenta para roer, ninguém “vai a jogo”. Ficam todos a tratar das suas vidinhas.
Agora, que é tempo de “vacas magras”, é a vez do «Mini» Mendes. Quando os ventos mudarem, outros valores mais altos se levantarão.

No meio de tanta pasmaceira, que saudades das palhaçadas do Lopes…

terça-feira, maio 20

Memória do Crónicas (20/05/05)

Zangam-se as Comadres…
O Isaltino, é dos políticos mais abjectos que conheço. Só neste miserável país, é possível a uma figura tão nojenta, singrar na vida política até chegar a ministro.

Mas o figurão não percebe, e eu também não, porque só ele, num partido tão variado, tenha que “pagar as favas”.

Não percebe, a diferença entre ele e quem o “pressionou” para dar um “tacho” a um boy.
E eu também não.

Não percebe, a diferença entre ele e o incompetente que usufrui de um lugar obtido por “cunha”.
E eu também não.

Não percebe, a diferença entre ele e o intelectual do partido que acha que “sugestão” e “pressão”, querem dizer o mesmo.
E eu também não.

O PSD, já não é um partido político. São tantos os corruptos e ladrões, que mais parece uma Associação de Malfeitores.

Segundo a SIC Notícias, a Judiciária tem estado a investigar novas trafulhices do Isaltino.

(Passaram três anos, e …”moita carrasco”. Está tudo como dantes, no Quartel de Abrantes)

Lisboa, 25 Abril 2008





Fotos de Lumife

segunda-feira, maio 19

Caetano Veloso

video

Segundas Poéticas

Amor, co a esperança já perdida,
teu soberano templo visitei;
por sinal do naufrágio que passei,
em lugar dos vestidos, pus a vida.

Que queres mais de mim, que destruída
me tens a glória toda que alcancei?
Não cuides de forçar me, que não sei
tornar a entrar onde não há saída.

Vês aqui alma, vida e esperança,
despojos doces de meu bem passado,
enquanto quis aquela que eu adoro:

nelas podes tomar de mim vingança;
e se inda não estás de mim vingado,
contenta te com as lágrimas que choro.

(Camões)

domingo, maio 18

Até estou parvo
O Tinoni marcou 2 golos!

Ainda o «13 de Maio»

video

Vi agora o teu mail. Já esperava essa reacção. Mas como sabes eu tenho uma maneira de pensar diferente, o que quer dizer que não acredite em tudo o que a comunicação social me impinge... quer neste, ou noutros casos...e é ela que está a formar as mentalidades de hoje, quer queiramos quer não. Eu vejo, ouço e leio... depois tento orientar-me pelo que a mensagem, venha donde vier, me diz a mim. Tento à Luz do Espírito Santo, Fonte de Sabedoria, discernir essas mesmas mensagens. E, regra geral, o que me fica é, que não interessa a explicação que me é dada, a argumentação apresentada, dos prós e contras, mas sim, o proveito que ela tenha nas nossas vidas. E, podes crer, tudo o que vem por bem é sempre muito bom!

M. Joaquina

Nota: Ou seja, estou a tornar-me previsível.
Eu tenho as minhas dúvidas e procuro explicações. A ti, basta a fé, mesmo que seja uma irracionalidade. Eu não consigo “engolir” o milagre do Sol, mas para um crente tudo é possível e entendível. Que importância podem ter as discrepâncias entre 1917 e a história vendida alguns anos depois?

Segredos de Fátima em livro polémico

"Fátima: nos bastidores do segredo", o mais recente livro de Fina d'Armada e Joaquim Fernandes, promete suscitar ainda mais dúvidas sobre as aparições na Cova da Iria de Maio a Outubro de 1917.
Editada pela Âncora Editores, a obra investe na complexificação do conceito, já que, para os autores, todo o processo reúne não apenas a componente religiosa, mas também a política, social e científica. Talvez por isso os dois investigadores acreditem que o acontecimento foi, sobretudo, uma construção habilmente tecida pelo regime da época, com a ajuda dos meios religiosos. "Existem duas Fátimas: a primeira, surgida em 1917, e a segunda, datada de 1942, com a publicação das memórias de Lúcia, nas quais se registaram alterações profundas em relação ao seu depoimento inicial", sustenta Fina d'Armada.
Durante meses a fio, ambos os investigadores coligiram centenas de documentos,contactaram testemunhas e confrontaram fontes diversas. Tudo somado, não têm dúvidas que a existência de Fátima encontra raízes muito profundas nas "estruturas mentais instaladas". Como afirma Joaquim Fernandes, "a Humanidade precisa de acreditar em algo. Apesar das tecnologias e dos recentes avanço, continuamos a ser muito teodependentes, pelo que, se este mito cair, não tardarão a ser criados sucedâneos".Jesuítas determinantes
A principal revelação de "Fátima - nos bastidores do segredo" prende-se com aquilo que os autores consideram ser o papel determinante dos jesuítas na construção do mito. "Foram eles que transformaram umas pequenas aparições num país rural num fenómeno quase único à escala mundial", adianta Joaquim Fernandes.
Apesar das profusas informações fornecidas, a dupla de investigadores não tem pejo em afirmar que persistem enormes dúvidas quanto ao que realmente ocorreu. Negando a hipótese de alucinação colectiva, Fina d'Armada fala em "estímulo externo" como forma de ajudar a explicar o que sucedeu. "Os presentes ouviram aquilo que podíamos definir como um zumbido", explica a autora, adiantando que a compreensão do fenómeno não pode ser alcançada sem o estudo de uma vasta gama de saberes, como a neurociência."Acima de tudo, queremos desmistificar crenças, pois ainda estamos muito longe da compreensão da realidade", completa Joaquim Fernandes.

sábado, maio 17

HUMOR

Casal de Alentejanos na sua primeira consulta de Ginecologia...
Sala de espera cheia, ele fica, ela entra no consultório.
Perante uma pergunta mais complicada.
- Espere senhor doutor, o meu marido é que sabe dessas coisas.
Abre a porta e grita...
- Oh Chico! Eu tenho orgasmos?
- Não filha, tens ADSE
.

Resposta a «13 de Maio»

Não deixas de ter razão em certos aspectos, quem sabe Jesus não faria hoje, o que fez aos "vendilhões do Templo". No entanto é bom ter presente que há fenómenos que continuam a escapar, quer à ciência, quer à mente dos comuns mortais, mesmo dos que se acham mais esclarecidos. E Fátima, quer queiramos quer não, é um desses fenómenos. Aliás, um fenómeno que o povo impôs à Igreja. E podes crer que neste dia rumam para lá pessoas de todos os níveis etários, culturais, sociais, económicos, etc… Mais, não concordo com a expressão "espelho do nosso atraso", pois não considero que o nosso povo seja atrasado, ele sabe bem o que quer e o que está a fazer… Só temos que aceitar, tentar compreender o motivo de tamanhos sacrifícios e, estou convicta, de que , se seguíssemos os conselhos da Senhora do Rosário, o mundo seria muito mais pacífico. E se os mistérios se desvendassem, deixariam de ser mistérios, certo? A Fé, O Crer na Unidade Trina… só pela Luz do Espírito Santo, assim lhe saibamos abrir os nossos corações por vezes tão empedernidos.
Deixo-te este versículo de S. Lucas para meditares um pouco: « Lc 10,21 Naquela mesma hora, Jesus exultou de alegria no Espírito Santo e disse: Pai, Senhor do céu e da terra, eu te dou graças porque escondeste estas coisas aos sábios e inteligentes e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, bendigo-te porque assim foi do teu agrado.»

M Joaquina


Nota: É recomendável ler o livro de Fina D’Armada, antes de abordar o fenómeno Fátima.

sexta-feira, maio 16

CÂMARA MUNICIPAL DE ALTER DO CHÃO

«ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DE 23 DE ABRIL DE 2008»


Deliberação Nº.140

A) – Acesso Gratuito à Internet.
===Sobre o assunto em referência, foi presente a seguinte Proposta: “As sociedades encontram-se num processo de mudança em que as novas tecnologias são as principais
responsáveis. Aliás, alguns autores identificam este novo paradigma de sociedade como sociedades de informação, pois, é este o seu bem mais precioso – a informação. Estas, podem ser responsáveis por grandes diferenças sociais, devido ao seu grau de exigência, sendo, por isso, necessário promover aprendizagens, embora, tal como outras tecnologias no passado, levam algum tempo a serem absorvidas pela sociedade. Com efeito, é fundamental perceber que as TIC estão aí, presentes no nosso quotidiano e num cenário cada vez mais global, assumindo-se como um meio de difusão, de informação e de combate à info-exclusão. Tendo em linha de conta o referido e considerando que: a) O município possui a tecnologia WI-FI, permitindo, numa zona de cobertura, ligação à rede wireless; b) Que os custos relativos à expansão da rede e o acesso gratuito à população tem custos muito pouco relevantes; c) Os avanços tecnológicos têm contribuído para o bem-estar e o modo de vida das populações; d) As populações são sensíveis às inovações tecnológicas nas suas variadas vertentes; e) As novas tecnologias permitem atravessar o mundo, promover descobertas, criar novas oportunidades e unir povos em novas amizades; f) As novas tecnologias podem trazer benefícios sociais; g) Os turistas que nos visitam, se podem incluir na tipologia do turismo cultural, com forte ligação às novas tecnologias; h) Se pode dinamizar, nesta época de maior apetência para o turismo, o centro histórico de Alter, entrelaçando a tradição e a contemporaneidade. Deixo à consideração deste executivo municipal a apreciação, discussão e votação da seguinte proposta, que não sendo uma medida inovadora, está a ser aplicada em diversos municípios, que têm vindo a apostar na modernização dos serviços e na sociedade do conhecimento. – Disponibilização gratuita do serviço WI-FI (Internet sem fios), no centro histórico de Alter do Chão, permitindo para já, a expansão do sinal e o alargamento do serviço, na zona do Castelo de Alter, Largo Barreto Caldeira e Jardim “Os Doze Melhores de Alter”. Digo para já, porque no futuro, poder-se-á desenvolver uma parceria com as Águas do Norte Alentejano, que permita utilizar as potencialidades da fibra óptica agilizando o acesso à Internet nas freguesias, permitindo uma mais rápida e largura da banda. Esta zona de acesso livre, permitirá ao cidadão a consulta do seu email, conversas no Messenger e navegar na Internet a alta velocidade”.
--- Deliberado por unanimidade analisar a presente proposta, para posteriormente se implementar o aí proposto.


Nota:
Aqui temos uma medida bastante louvável. Eu não sei os custos em que isto importa, mas já há algum tempo que estava a tentar recolher informação sobre o tema. Acho que em Seda, dada a morfologia do terreno e o povoamento aglomerado, seria fácil a uma antena instalada na torre da igreja, cobrir toda a vila.
Senhor Presidente da Câmara, o caminho certo, é esse

Bairro da Lapa 1945 / Lisboa


quinta-feira, maio 15

Memória do Crónicas (15/05/2006)

CRÓNICA DE UM CRIME ANUNCIADO?
1990 – A Companhia das Lezírias, (empresa pública) e o Grupo Espírito Santo, constituem a Portucale – Sociedade de Desenvolvimento Agro-turistico, SA. A empresa pública entrou com 510 hectares da Herdade da Vargem Fresca.
1993 – A Companhia das Lezírias, vende as suas acções na empresa ao outro sócio, a preços, considerados na altura, muito abaixo do valor real.
1994 - A Portucale pediu autorização para o abate de 4 000 sobreiros, para instalar dois campos de golfe. O pedido foi indeferido pelo então Instituto Florestal.
1995 - Duarte Silva (PSD), Ministro da Agricultura, assina um despacho favorável, ao abrigo de uma alteração legislativa feita nos derradeiros dias do governo de Cavaco Silva.
1995 - A autorização de abate foi revogada poucos meses depois, já pelo governo de António Guterres, mais propriamente pelo então ministro da Agricultura, Gomes da Silva (PS), mas parte dos sobreiros já tinham sido abatidos.
1997 – A Portucale voltou a pedir autorização para o abate de sobreiros.
1999 - A Inspecção-Geral de Finanças, considerou a alienação da Herdade da Vargem Fresca, "desfavorável para os interesses e património da Companhia das Lezírias".
2005 – A 16 de Fevereiro, (quatro dias antes das eleições), um despacho conjunto dos ministros do Ambiente, Nobre Guedes (CDS), da Agricultura, Costa Neves (PSD) e do Turismo, Telmo Correia (CDS), alegando “imprescindível utilidade pública” autorizam o abate de 2605 sobreiros, mesmo sem estudo de impacto ambiental.
2005 - A 7 de Março, o Despacho é publicado no Diário da República.
2005 – A 8 de Março o pedido de autorização para abate das árvores, dá entrada na Direcção de Recursos Florestais, e como que por milagre, num país de burocracia, no mesmo dia é deferido.
2005 – A 11 de Março a Quercus interpôs uma Providência Cautelar junto do Tribunal Fiscal Administrativo de Leiria.
2005 – A 15 de Março, quando a medida foi decretada, já tinham sido abatidos 900 sobreiros.
2005 – A 23 de Março, o ministro da Agricultura, Jaime Silva (PS), revoga a autorização de abate de sobreiros.
2005 - A 28 de Março, é assinado pelos actuais ministros da Agricultura, do Ambiente e da Economia o despacho de revoga o despacho do anterior governo.
2005 – A 10 de Maio, o ex-ministro do Ambiente, Luís Nobre Guedes (CDS) foi constituído arguido, ao mesmo tempo que Abel Pinheiro, responsável pelas finanças do CDS, foi detido para interrogatório, por suspeita de crime de tráfico de influências.
2005 – A 11 de Maio, Abel Pinheiro (CDS), foi constituído arguido, saiu sob fiança.

…a saga continua…

Patxi Andion

video

El Maestro

El cura crê que es ateu
El alcalde comunista
E el cabo jefe de puesto

Piensa que es un anarquista.

Las buenas gentes del pueblo
Han escrito al Menistrério
E dizem que no está claro
Como piensa este Maestro

Dizem que lee com los ninhos
Lo que escrevio um tal Machado
Que anduvo por estes paros

antes de ser exilado.

Les habla de lo inombrable
E de otras cosas peores
Les lee livros de viersos
E no les pon orejones

quarta-feira, maio 14

Portugal no "nosso" melhor


Memória do Crónicas (14/05/04)

A Entrevista
Segui ontem com muita atenção, a entrevista do Primeiro-Ministro Durão Barroso. De tudo o que me pareceu mais importante foi:
Que o senhor não é de direita. (Ai não?)
Mas quer eleger um presidente de direita. (Como assim?)
Quer a recandidatura de todos os presidentes de câmara das cidades importantes. (Até o Rio?)
Nas presidenciais não quer dividir o espaço do PSD. (Ai o Lopes)
O caso Galp, é só a troca do accionista italiano por um “português ou luso-estrangeiro”. (O quê?).
Mas, paradoxo dos paradoxos, o que mais me agradou, foi durante a parte da entrevista passada nos jardins do Palácio, ouvir-se de quando em vez, um lindo grito de Pavão

terça-feira, maio 13

O que terá Cavaco contra os jovens do Bloco de Esquerda?
Será alergia?
Ou retaliação pelo banquete da Madeira?

Memória do Crónicas (13/05/2005)

13 DE MAIO
Hoje é dia 13 de Maio e todo o mundo segue pela ordem natural das coisas.
No Iraque a vida humana continua a ter o mesmo pouco valor. Morre-se todos os dias pelas ruas e ninguém se importa, é natural. Para os senhores “bem pensantes”, são muçulmanos, moram longe, são gente de segunda, carne p’ra canhão.
O Irão continua a perseguir a tecnologia nuclear, o que é muito grave. Na Indonésia também, mas aí já é menos grave.
Mas a Terra, continua a girar à volta do Sol, como postulam as Leis da Física.
Em Portugal tudo é diferente.
Parece que todo o Mundo Português se está a “entornar” para Fátima. Temos vivido, nesta última semana, a triste “febre” dos “pagadores de promessas”. Centenas de pessoas, a pé, num mar de sofrimento, pagam promessas por milagres imaginários. È o nosso Reality Show anual, o espelho do nosso atraso.
A Santa, enche o ego com o tributo de tanta mortificada devoção. E todos os anos, com a ajuda do trânsito, ceifa algumas vidas de caminhantes menos afortunados.
A Igreja, tão dada ao fausto, conduz o rebanho e fica de cofres cheios para mais um ano.
Tudo se vende em Fátima nestes dias. É bem lucrativa a fé dum povo…
As televisões deliram com o espectáculo. E todos os anos transmitem as mesmas imagens durante horas a fio.

Mas amanhã é outro dia

Lisboa, 25 Abril 2008





Fotos de Lumife

segunda-feira, maio 12

Um Verdadeiro Serviço Público...

Cinha Jardim foi ao Cadaval comer frango

Cinha Jardim é uma “grande apreciadora” de pratos de frango e mostrou isso mesmo na abertura do III Festival Popular do Frango Nacional, no Parque de Serviços Urbanos do Cadaval, no passado sábado. “Comi três variedades de frango, assado, grelhado e com nozes e puré de maçã. Adorei”, contou ao OESTE ONLINE, acompanhada pelo modelo Jaime Tomé, de quem apanhou boleia.

“Gosto muito de frango assado e estufado, das coxinhas de frango, com ervilhas, com ovos escalfados, com tudo, menos com alho, que não consigo digerir”, confidenciou, acrescentando ao rol de pratos “a canja de galinha”.

No meio de centenas de pessoas que afluíram ao evento, Cinha Jardim mostrou-se alegre por estar “numa festa popular e onde se pode dançar”

Nota: Eu tenho o serviço de Alertas do Google para vários assuntos e pessoas que me interessam. Uma excelente maneira de estar sempre actualizado. Mas como tudo, tem também alguns inconvenientes. Hoje caiu-me na Caixa de Correio esta “candente” notícia. Fiquei felicíssimo de saber quais as preferências gastronómicas de uma tão distinta senhora, no entanto capaz de honrar uma festa da “populaça” com a sua augusta presença.

Haja pachorra… -

Segundas Poéticas

Liberdade, onde estás? Quem te demora?

Liberdade, onde estás? Quem te demora?
Quem faz que o teu influxo em nós não caia?
Porque (triste de mim!), porque não raia
Já na esfera de Lísia a tua aurora?
Da santa redenção é vinda a hora
A esta parte do mundo, que desmaia.
Oh!, venha... Oh!, venha, e trémulo descaia
Despotismo feroz, que nos devora!
Eia! Acode ao mortal que, frio e mudo,
Oculta o pátrio amor, torce a vontade,
E em fingir, por temor, empenha estudo.
Movam nossos grilhões tua piedade;
Nosso númen tu és, e glória, e tudo,
Mãe do génio e prazer, ó Liberdade!
(Bocage)

Memória do Crónicas

GOSTAVA DE ENTENDER
O Cardeal Ricardo Maria Carles, compara a decisão do governo espanhol em permitir o casamento de homossexuais, às decisões do governo de Hitler, considerando que seguir a nova lei em vez da consciência «conduzirá a Auschwitz».

Pos sua vez, o Cardeal Trujillo, em entrevista à TV 3, diz: «os que fizeram Auschwitz não eram delinquentes, mas pessoas que foram obrigadas, ou pensavam que deviam obedecer às leis do governo nazi, e não à sua consciência»

…mas tá difícil.

domingo, maio 11

ADEUS MAESTRO





Feira/Festa de Abril - Alter do Chão

video

Eu detesto qualquer tipo de touradas. Acho-as uma manifestação de "barbárie" Tolero as "pégas", mas estou sempre a "torcer" pelo touro.

Sabe bem ouvir um incentivo…

Caro Amigo
Respondendo à tua "intimação", embora com algum atraso, aqui vai um texto meu antigo, que talvez já conheças e que até leva um simpático comentário (ainda que parcialmente discordante) do Prof. Vital Moreira, a quem às vezes tenho a ousadia de submeter os meus escritos sobre matérias da sua especialidade.

Podes utilizar, ou mesmo modificar a teu bel-prazer, segundo o teu pensar, pois estas coisas são para se irem pensando colectivamente (palavra cada vez mais caída em desuso, nesta nossa era hiper-individualista...), e publicitar lá no teu «Planalto».

Já agora, deixa-me dar-te um abraço de parabéns por essa batalha que diariamente travas, com sucesso! Eu também tentei fazê-lo, como sabes, mas é uma tarefa hercúlea (manter um "blogue" actualizado)...

Continua e segue em frente com o mesmo entusiasmo, que eu, mesmo com pouco tempo, sempre te irei lendo e, na medida do possível, comentando.

Obrigado e um abraço (talvez vá buscar a minha Mãe a Seda no fim do mês, pode ser que consiga fazer-te aí uma visita ao teu "posto de comando"...,)

Marçal Alves.

Os Cinco e a Estrada do Poder

Como eu quero para o PSD, o Quanto Pior Melhor...

Santana, Sntana, Santana

sábado, maio 10

Boavista desce de Divisão; João Loureiro suspenso por dois anos. Acusado de coacção sobre a equipa de arbitragem de três jogos disputados em 2003/04 – com Benfica, Belenenses e Académica –, o Boavista foi condenado com pena de despromoção à Liga de Honra, enquanto João Loureiro terá de cumprir quatro anos de suspensão.

Nota:
O Joãozinho já se pronunciou. Vai recorrer claro, mas o caso não o afecta, já nem é dirigente. E os 100 milhões de “passivo” do Boavista? A que bolsos foram parar? Eu nem considero o “filho do pai” o grande responsável pelos crimes. O tipo não tem neurónios suficientes para congeminar o roubo de uma chupeta a um bebé. É pouco mais que inimputável. O mentor é outro. E os principais responsáveis são os adeptos do clube que se deixaram iludir pela Quadrilha dos Batateiros.

Se alguém se engana com seu ar sisudo
E lhes franqueia as portas à chegada
Eles comem tudo, eles comem tudo
Eles comem tudo e não deixam nada.

Nova PJ

Gostei de ver a tomada de posse do novo director da Polícia Judiciária, Almeida Rodrigues. Pareceu-me um homem sério e empenhado.
O que me ocorre dizer sobre os procuradores “orelhudos” que não querem trabalhar sob as ordens dum Inspector de carreira?
Que vão pela sombra. Não vão fazer falta á polícia. Trampa dessa, há por aí aos pontapés.

O major Batateiro está irritado com o presidente do Concelho Disciplinar da Liga, não pelo teor do Acórdão, mas pela maneira como se vangloriou na leitura do mesmo.
È risível vindo de quem vem. O mesmo homem que acenava á populaça com ar de gozo á entrada do Tribunal de Gondomar, ou há bem pouco tempo afirmar que ia ganhar quinze a zero.
Há por aqui jogadores, que já não têm os trunfos todos…

sexta-feira, maio 9

Guernica em 3D


video

Vidas Comuns

Pelas minhas contas, terá nascido por volta de 1865, chegado a Seda em 1877, era “pechardeco”, natural de Chança e veio trabalhar como “moleque” para casa dos Teixeira (moleque era uma espécie de moço de recados das casas ricas). O primeiro trabalho dum menino antes de chegar a ganhão). Chamava-se António Lourenço, e foi meu bisavô materno.
Por lá conheceu uma criadita, afilhada da casa, chamada Catarina Rosa. Acabaram de se criar juntos e desenvolveram uma antipatia mútua, de todos conhecida, que só terminou quando ela já não podia mais esconder a barriga. Os patrões casaram-nos à pressa, o mal já não tinha remédio e foram pais de oito filhos, cinco rapazes e três raparigas.O meu bisavô era reconhecido na terra como um excelente trabalhador e uma pessoa muito honrada. Era hábito por aqui haver também uma certa deferência por quem tinha vindo de fora.
O ano de 1908 foi de uma grande invernia. Não era possível trabalhar nos campos e lá em casa havia dez bocas famintas. Convencido pelos vizinhos, acompanhou-os uma noite a apanhar uns quilos de bolota, (bolêta). Era um terrível crime nesses tempos no Alentejo, um pobre matar a fome com o que estava destinado aos porcos.
Ele não voltou nessa noite. Perguntados em segredo os companheiros do “roubo”, nada de nota tinha acontecido.
Fizeram o percurso no sentido inverso e encontraram-no. Ao tentar saltar um ribeiro, não alcançou a outra margem. A água gelada, o peso do saco e a correnteza, mataram-no.
Mas quem realmente o matou, foi a fome.

Assim terminou a curta história do meu bisavô “pechardeco”.

Portugal no "nosso" melhor


quinta-feira, maio 8

SERMÃO AOS IMBECIS

A última homilia de João César das Neves, o taliban português, no Diário de Notícias, termina assim:

“Esta hostilidade, agora franca e aberta, é boa para a fé. Uma perseguição faz sempre muito bem à Igreja, purificando-a e renovando-a. O problema está no que entretanto sofrem as crianças das escolas e creches, os idosos do centros de dia e obras sociais. Os serviços estatais, apesar das suas tendências totalitárias, nunca conseguem substituir as paróquias. Uma perseguição à Igreja, mesmo envergonhada, acaba sempre por prejudicar os pobres

Estou plenamente convencido, que graças a este tipo de professores universitários, que o sistema produz tantos “analfabetos funcionais”. Arvorem esta luminária Ministro da Educação, e rapidamente teremos uma rede de madrassas, com alunos a repetir acefalamente a palavra do senhor.

O Abominável Homem das Neves, é um cruzado serôdio, um talibã romano, um diácono sem sotaina nem tonsura, a voz de serviço à mais troglodita visão do estado, desejoso de ver Portugal prestar vassalagem a Roma, convertido em protectorado do Vaticano.

Sigamos o profeta dos nossos tempos. A Deus o que é de César. As sotainas ao poder. Já!!!

Televisão do Qatar

video

Sem Comentários

quarta-feira, maio 7

Avenida João XXI 1965 / Lisboa


Repulsa e Vergonha

O famigerado cónego Melo agiu, em 1974/75, activamente e por meios terroristas contra a democracia que dava os primeiros passos: os comunistas eram as primeiras vítimas, mas o objectivo era a própria Democracia. Por isso é que é intolerável que na hora da provocação, o PS encontre um qualquer alibi para não se pôr do outro lado da barricada.

De cedência em cedência…

antes, era só um operário;
depois, apenas um padre;
depois, era ainda só um comunista…
acabam por nos cortar a cabeça…
a nós próprios, que não éramos nada disso.


A atitude miserável do CDS/PP, que na primeira versão do “voto de pesar” se permitia qualificar o desprezível padre como “um homem de Abril”, só pediu meças á cobardia dos socialistas. E lá nas profundezas do Inferno onde “esturrica”, o Melo bate palmas e goza com a falta de carácter de alguns políticos.

terça-feira, maio 6

Ao Grupo Parlamentar do PS.

Digo-vo-lo com a responsabilidade de vos ter precedido na representação popular no Parlamento. E de ser filho de um Homem que também vos precedeu, Victor de Sá, como outros perseguido durante a luta contra o fascismo, que se viu obrigado a fugir de casa, em Braga, nesse “verão quente” para não ser abatido pela camarilha do cónego que deixásteis que o Parlamento homenageasse como um democrata.

É pelo respeito que os nossos mortos nos devem merecer, aqueles que lutaram para que Portugal vivesse em liberdade, que vos manifesto a repulsa democrática por essa indignidade que alguns de vós personificásteis. Não vos queixeis do divórcio do Povo!

Esta vossa atitude teve ainda a ironia de ocorrer quando se invocam os 40 anos do Maio 68: alguns de vós estavam, como eu, do lado dos que se revoltaram contra o” stato quo” do poder estabelecido. E agora, que sois Poder?

Victor Louro, (antigo deputado à Assembleia da República)


Nota:
Aos cerca de trinta deputados do Partido Socialista que tiveram a coragem de abandonar o hemiciclo antes do repugnante “minuto de silêncio”, os meus respeitos.

Assina a Petição


segunda-feira, maio 5

EVA

António Coutinho


(para contactá-lo, ajscoutinho@gmail.com)

Caridade Cristã

…não são dignos daquele deus?
O que ia ser uma tarde de passeio para um grupo de 12 jovens com o Síndrome de Down, transformou-se em grande indignação…

Segundo o “La Voz de Almeria”, quando o grupo se encontrava a visitar a Catedral, um sacerdote expulsou-os com maus modos, aludindo á sua deficiência. Os professores asseguram que a desculpa para isso, foi: “Não sentem, não sofrem, nem entendem”.

(nitidamente, filhos de um deus menor, maltratados por um filho da puta)

Lisboa, 25 Abril 2008





Fotos de Lumife